Harry Potter, uma paixão incontrolável

Sempre gostei de bruxas, magos, feitiços e mágica, jurava que eu era uma bruxinha e sempre peço para me darem parabéns no dia 31 de outubro, mas me recusava a ler Harry Potter por achar uma modinha ridícula de gente acéfala. Sabe como funciona o pré-conceito, né?! Já estava traumatizada com tanta porcaria fazendo sucesso por esse mundo insano (ou insana sou eu?!).

Até que alguém me disse para ler a saga e ver os filmes porque eu gostaria e muito. Meio contrariada, peguei os livros emprestados e comecei a leitura.

Pronto!

Viciei!

Como normalmente as pessoas fazem, comecei pelo começo e li Harry Potter e a Pedra Filosofal em um ou, no máximo, dois dias. Logo em seguida fui até a locadora e peguei o filme. Terminei de vê-lo e fui correndo para o segundo livro, o qual também acabei rapidinho. E segui o mesmo procedimento: locadora, filme, próximo livro.

Como o número de páginas ia aumentando a cada livro, eu demorava um pouco mais para finalizá-los, porém o esquema permanecia o mesmo: terminava o livro e ia correndo alugar o filme. Mas, de repente (olha o drama da garota), acabaram-se os filmes e tive que adquirir uma mania péssima (ou não): ficar ansiosa aguardando os próximos lançamentos, tanto de livro quanto de filme.

No caso, em breve sairia nos cinemas Harry Potter e o Cálice de Fogo, a que fui correndo assistir. Além disso, ainda faltava o sétimo e último livro da saga potterística, Harry Potter e as Relíquias da Morte.

Daí em diante, o vício foi piorando e à minha mãe fui assustando (uma riminha de vez em quando faz bem):

* Ganhei um álbum de figurinhas da minha tia (minha prima ganhou, mas não queria) e colecionei (ia quase todos os dias à banca de jornal);

* Comprei um botton da Hermione Granger (queria todos, mas era muito caro e selecionei apenas um, o da minha “ídola”);

* Queria e ainda quero o cachecol da Grifinória (uma das casas da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, onde estudam Harry e seus amigos – e inimigos), uma capa preta e todo o uniforme, além da varinha;

* Quando comprei o último livro pela internet, ganhei um baralho;

* Fiz um teste e confirmei que realmente faria parte da Corvinal (as quatro casas de Hogwarts são: Grifinória, Sonserina, Lufa-Lufa e Corvinal). Hahahahaha…

.

Minha paixão, perto da de muitos, é pequenininha, mas sigo no Twitter alguns sites que cobrem tudo o que acontece relacionado ao Harry Potter, à J. K. Rowling e aos atores que estrelaram os filmes. Também recebo newsletters de um blog espanhol (Blog Hogwarts) e faço parte de um fórum (Oclumência). Ah, e sempre confiro as novas notícias no Potterish.

***

Um amigo foi para Londres e de lá me trouxe um presente. Alguns meses antes de voltar, disse que havia comprado algo que tinha a minha cara, mas eu não fazia ideia do que era. Como sou curiosa e ele também não resistiu guardar segredo, contou-me ser um vira-tempo, objeto que Hermione Granger usa na história do terceiro livro, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, para conseguir estar em mais de um lugar ao mesmo tempo.

Para que ele foi me contar isso? Espalhei a belíssima e fantástica notícia para todo mundo, muitos nem sabiam o que era e eu mandava foto e ficava gritando e era um horror de criança feliz serelepe e saltitante.

Hoje, dia 27 de setembro de 2010, ganhei meu presentinho maravilhoso. E estava aqui, agora, sozinha, sorrindo para ele feito boba.

Meu namorado disse: “Cuidado com ele, hein, amor! Não vai ficar andando com ele pra cima e pra baixo!”

E eu: “Ele não vai sair de casa depois que chegar lá!”

Pensando bem, só se eu for a uma pré-estreia. Porém, também não sei se sou tão fanática assim. Para não tirar o prazer dos mínimos detalhes do último filme que chegou aos cinemas – Harry Potter e o Enigma do Príncipe –, resolvi deixar passar algumas semanas para não correr o risco de ter que aguentar adolescentes irritantes e crianças pentelhas e, no final das contas, o filme saiu das telonas e eu perdi. =/

Tudo bem! Assaltei minha prima de oito anos e estou com os seis dvds em casa há mais de dois meses. Já revi todos, mas preciso ver mais uma vez cada um. Uma vez no mínimo, é claro! Adooooooro!

Novembro está chegando e mal posso esperar para ver a primeira parte de Relíquias da Morte. Os trailers são maravilhosos e já me fizeram gritar e arrepiar e criar lágrimas nos olhos toda vez que os vejo. Minha irmã quase me matou quando o primeiro trailer foi divulgado no Movie Awards da MTV. Eu ficava gritando: “Ow, my God! Ow, my God!” Haja saco, né?!

Enfim, vou colocá-los aqui para que alguém possa se interessar e virar fã como eu! XD

.

.

.

Bom, essa é minha pequena história com o Harry Potter. Ninguém agüenta mais me ouvir falar sobre ele, ver-me relendo os livros, revendo os filmes, colocando HP nas minhas fotos do Facebook e Twitter, mas tudo bem. Na adolescência a gente fica assim mesmo! Rá! XD

.

.

.

OBS: Eu amo Harry Potter!

.

.

OBS2: Max, querido, seja bem-vindo de volta ao país da bunda e da corrupção e muitíssimo obrigada pelo presente maravilhoso que você trouxe para mim. Te adoro, chuchu! XD     =*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s