“Dizem que eu falo demais…”*

Tem muita coisa para falar, pouca paciência e pouco tempo para escrever e quase nenhuma memória (tenho memória de peixe de aquário) para guardar tudo para próximos posts. Para você ter uma noção de como a coisa é trágica, ando com um caderno e vou escrevendo os estalos que tenho na cabeça para não os deixar partir assim, sem mais nem menos, sem me avisar, sem deixar uma carta, uma explicação… Buaááááá…

Meu nariz entupiu de uma forma que não consigo respirar! Tenho que ficar de boca aberta. Parece que tenho problemas. Peraí que vou pingar remédio (ou seja, vou me drogar e já volto!)!

Antes de qualquer coisa, quero explicar uma coisa que faço para você não achar estranho e depois tentar me matar, ok?! É o seguinte: às vezes você deve entrar aqui, nesse blog lindo e cheio de palavras, e encontrar um ponto no título e outro no texto, ou então algumas coisas que não fazem sentido. Por que faço isso? Para te deixar louco(a)? Não, é que algumas vezes não tenho tempo de postar no dia e para não perder a data no calendário que fica aqui do lado direito, eu posto alguma coisa e no dia seguinte coloco o texto certinho. Certo? Então não estranhe, não ache que estou trapaceando, porque isso é uma questão prática e de extrema organização. E olha que mesmo assim fica bagunçado às vezes. Bom, é isso! Qualquer dúvida ou sugestão, é só me enviar. Aceito com prazer!

Ultimamente alguns problemas com assinatura de revista estão me encomodando. Sou assinante da Rolling Stone, da piauí e da Bravo!. A RS nunca chega em casa antes de chegar às bancas, cosuma chegar uma semana depois ou por aí. Ou seja, um tanto quanto atrasada. A piauí costumava chegar uns dias antes ou no mesmo dia. Nesse mês a data prevista para a entrega era 6 de fevereiro. Liguei reclamando e a mocinha me disse que pode ter ocorrido um extravio. Como assim? Extravio! O cara da entrega teve que cagar no matinho, não tinha papel e ele usou minha revista? Resultado: Comprei a revista um semana depois da data prevista de entrega de manhã e à noite o porteiro me ligou avisando que a piauí estava lá embaixo. A sorte e que já consegui vender a que tinha comprado. O bom é que como já tinha ligado para reclamar do atraso, a mocinha perguntou se preferia o reenvio da revista (mas ela só chegaria dia 21 de fevreiro) ou que outro número fosse entregue no final da assinatura. Escolhi a segunda opção. Eeeee… A única que não me dá muitos problemas é a Bravo!. Chega lá para o dia 10 e ponto.

Qual é a vantagem de ser asinante de algo se você não recebe antes, se não chega em casa na data prevista? Editoras queridas do meu coração, não me façam ficar louca, ok?! Sou uma pessoa ansiosa e quero tudo aqui no dia que dizem que entregaram. Nunca vou assinar jornal! Ficar tensa todos os dias? Hahahaha… Sou louca e de aquário mesmo!

O quê? O que que eu fiz? Que é?

O quê? O que que eu fiz? Que é?

Eu sou louca e minha cachorra também. Que ela é estressada, todos nós sabemos, afinal de contas, ela é uma pinscher, mas que era louca?! Agora ela rosna para todos, aé para minha irmã, mãe dela. Quer morder todo mundo, está cuidando de um brinquedinho dela, vai para cima e para baixo com ele, morde a toalha da mesa, a almofada, o sofá, o cobertor. Cara, tá fóides o bagulho! Bater é impossível, não faço isso. Gritar não adianta, ela late mais alto do que eu grito. Ou ela grita mais alto do que eu lato!? Enfim! Acho que vou dar chocolate para ela. Sempre funciona comigo!

Falando em chocolate, acabei de comer um super pão de mel coberto com chocolate recheado com doce de leite e tudo o que tenho direito. Esse foi meu almoço. Ai, que gostosinho!!! Hum…

E hoje a noite tem jantar e balada de aniversário. Agora é sério, não vou fugir! O jantar será no Matsuya de Perdizes, que fica na rua Bruxelas, e a balada no CB Bar (www.cbbar.com.br). Está convidado(a)! Aparece lá para curtir comigo esse mês especial!

 

OBS: A meta é beber, não cair e dançar! Eu já disse isso! Quero tomar pina colada e sex on the beach. Noooooooossa! É hoje!

OBS2: *O título desse post é um trecho de uma música de Maysa, minha mais nova ídola. Quem quiser me dar a biografia e o cd duplo dela, fique a vontade. Não reclamarei nem um pouquinho! Eu e meus pedidos! POBREEEE!!! Hahaha…

Um pug para chamar de meu

Fazia tempo que não me sentia tão pressionada. Um professor da faculdade começou o semestre nos fazendo tantas perguntas que me senti num episódio de CSI (Miami ou Las Vegas, tanto faz!). Quais teorias vocês conhecem? O que é a Teoria do Caos? E a da Complexidade? Qual o principal representante dessa teoria? O que é Análise do Discurso? O que o Jornalismo tem a ver com tudo isso? Como eles se relacionam? Ahhhhhhhhhhhh… Não sei, não sei, não seeeeeiii… São 8 horas da manhã de uma quarta-feira e mal acordei ainda! Credo! Nem meu pai e minha mãe me fazem tantas perguntas quando vou sair. Param na: “Tá levando uma blusa?”. Nem meu nome ele perguntou? Só faltou querer anotar meu RG e registrar minha digital, quem sabe a “marca” da minha íris. Por favor, professor, não faça mais isso conosco! (Conosco??? Que chique!)

E ontem, indo para casa (sai da Osesp às 20h. Detalhe: ela fica na Praça Júlio Prestes, próximo à Estação da Luz, um horror), a caminho do metrô, um doido, falando sozinho é claro, e com uma caneta na mão, me atacou. Enfiou a mão e a caneta no meu cabelo e puxou. Assim, de uma vez só! (Consegue ver? Assim ó! Viu? Assim!) Sem querer ser trágica, mas, mais um pouquinho, ele me machucaria mesmo, podia cravar a caneta em minha cabeça (noooooossa, que exagero!), aquele desgramado (sim, desgramado -desgramado = desgraçado, mas amenizado- para não usar outras palavras, que inclusive utilizei na hora. Por exemplo: fdp, louco, MTHFCK, vagabundo, corno etc. etc. etc. Um horror no meio da rua). Acho que usei todo meu vocabulário de baixo calão (nunca escrevi isso). E, modéstia à parte, ele não é tão pequeno assim, afinal de contas são 23 anos de vida, passei por muitos lugares, conheci muitas pessoas e aprendi várias palavrinhas feias. Em outras línguas também.

E fui à XEROX. Ainda não tinha caído a ficha que as aulas tinham realmente voltado. Mas quando entrei na XEROX saquei: “Acabou!”. Buáááááááá…

O cinema me espera. Vou assistir Verônica, filme brasileiro do diretor Maurício Farias, estrelado por Andréa Beltrão (d’A Grande Família) e Marco Ricca (procura no Google que eu tô com preguiça). Depois faço aquela crítica caprichada que costumo escrever.

Ah, o cinema! Ah, que beleza! Um dia você verá meu nome aparecendo na telona, ok?! Pode esperar e verá! Iupieeeeeeeee!!!

O pug de ontem não sai de minha cabeça. Acho que o dono dele pensou que eu era meio tarada, sabe?! Ele lá, roncando para mim (na verdade, ele faz isso normalmente, é incontrolável), eu o acariciando, o dono falando de como é a raça, eu falando da Atena (minha pinscher), e acariciando aquele pelo fofo, o pug lá, adorando a situação (pelo menos, eu acho. Ele não reclamou). Ah… Eu quero um! Enquanto não posso, todas as vezes que encontrar o Mister Chan (esse é o nome do pug) na rua, vou abusar dele. Hihihi…

OBS: Bichanos, não tenham medo de mim! Não costumo fazer mais do que carinho em cachorrinhos e cachorrões (sem duplo sentido isso aqui, certo?!).

OBS2: Será que você poderia me indicar alguma banda ou cantor(a) novo(a), porque não consigo parar de ouvir Damien Rice e James Blunt. Valeu!

Um domingo, nada mais

Ah, Damien, Damien! Você não sai de minha cabeça! Que show! Que noite! Que músicas!

Vóvis e Vôvis, feliz aniversário de casório! 51 anos juntos? Putz! Eu não vou aguentar viver comigo mesma 51 anos! Vocês são guerreiros!

E ontem foi dia de balada! Foi aniversário do super Diogo no Teatro X. Esse cara mandou muito bem comandando o som. Ótimo gosto musical! Parabéns, querido! Você é um dos únicos que gosta de “trabalhar” no dia de sua festa de aniversário. Hehehe…

Depois fomos para a Love Story. Cara, que loucura! Tinha gente de tudo quanto é tipo lá. Um calor insuportável, lotação máxima, impossível de se movimentar. E não é que encontrei três pessoas que estudaram comigo no colegial em São Bernardo na ETELG?! Esse mundo é bem, mas bem pequenininho. Eles disseram que eu não mudei, que continuo a mesma, pequenininha. Legal, né! O problema era se alguém achasse que eu tinha crescido ou encolhido. Aí eu ficaria assustada. Mas tudo bem, “minha voz continua a mesma, mas os meus cabelos”. Hehehe…

E cheguei cedo em casa. Às 5h45 do domingo. Antes passamos no MC Donald’s. Comi aquele Chicken Wrap MTHFCK Grill (ou Crispy). Demorei alguns minutos para acertar o nome do negócio (ou bagulho, como preferir) e depois parecia que tinha comido um Big Mac ou um Cheddar. Afinal, tem tudo o mesmo gosto, não é?!

Ai, como a Atena (minha pinscher preta e canela) é fofa e brava e pentelha e linda. Ela é um paradoxo! Lembrei-me de quando ela era pequenininha, uma bolinha de pulgas. Ela quase não precisava fazer esforço para andar, as pulgas a levavam para qualquer lugar. E como era filha única, saia rolando também. Locomoção não era problema. Um dia ela chegou aqui em casa. Andava e ficava presa no carpete, se escondia atrás do sofá e já dormia na cama. Agora tá grande (tá bom, pode tirar sarro, desde quando pinscher é grande?!), continua chata latindo por qualquer coisa, mas é linda. Dá vontade de morder, mas antes que eu consiga fazer isso, ela já arrancou meu olho fora. Um problema! E por que falei sobre ela? Porque dia 23 ela faz aniversário. Quatro aninhos. Para cachorro são 28, certo!? E espero que ela dure muito, muito tempo. Ela fará falta um dia ou eu farei flata um dia. Enfim… (provavemente ela ganhará um texto especial no aniversário

Meu time ganhou! Aeeeeeeeeeeeeee! Iurruuuuuuuuuuuu!!! É nóis!

 

OBS: Dormi pacas, estudei espanhol pacas e tô morrendo de fome (pacas!). Estado constante assim como estar com sono.