É sempre a mesma coisa

Entra ano, sai ano e a situação é exatamente a mesma: O transporte público é de péssima qualidade, caro demais para o que oferecem e, caso aconteça qualquer problema, o caos se estabelece e a cidade para.

Hoje sai de casa um pouco mais cedo, cerca de 7h 10, já que venho sofrido um bocado com atrasos nos ônibus e, principalmente, no metrô (linha verde). De longe vi o ponto de ônibus da Avenida Interlagos lotado, o que não acontece normalmente. A Avenida, para variar, com um tráfego gigante, mas hoje um tanto quanto estranho. Todos os ônibus, sem exceção, não importava para onde iam, estavam com gente saindo pelas janelas. Depois de minutos, por sorte, consegui entrar num Metrô Jabaquara.

Trânsito intenso. Já estava quase certa de que chegaria atrasada, porém o relógio da estação me deu uma última esperança: Eram 8h 15.

Nas catracas e na plataforma do Jabaquara, aparentemente, estava tudo normal. Já na Ana Rosa, esperava passar nervoso com atrasos e multidão, mas não, estava tudo tranquilo e com pouca gente.

Como eu não acredito em milagres, logo descobri o que tinha acontecido por meio de uma ligação do meu namorado que estava no Anhangabaú tentando ir para a Barra Funda.

Ele me informou que, devido a problemas desconhecidos nas estações Dom Pedro e Sé, a linha vermelha, Leste-Oeste, parou e as estações fecharam suas portas para evitar transtornos maiores. De acordo com informações de outras fontes, trens foram danificados porque toda a energia foi desligada e as pessoas entraram em pânico. “Quebraram tudo e sairam andando pelos trilhos!”

Nas rádios, informações desencontradas e jornalistas com comentários bestas, para variar. A assessoria de imprensa do metrô só informou que tiveram problemas nas estações citadas e que a provável causa era um usuário que havia acionado o sistema de emergência para a abertura das portas (preciso checar melhor essa informação). Um jornalista disse: “Deve ter sido um engraçadinho!”

Ah, tá! Senta lá, Cláudia! (Como diria a grande Xuxa Meneguel!) Até parece que uma besta quadrada ia fazer isso e sair vivo do metrô em horário de pico.

.

Concluindo:

– Ano que vem pagaremos R$ 3,00 por serviços de péssima qualidade (servicinho de merda, numa linguagem mais chula);

– Nenhum governante que anda de carro, que tem motorista, que utiliza helicóptero, que veio de família abastada e nunca precisou de transporte público a não ser para fazer campanhas ridículas, vai mudar a situação de quem precisa sair, no mínimo, duas horas antes de casa para chegar no trabalho;

– Continuarei reclamando e pensando em como eu posso fazer alguma coisa, de preferência não tendo que virar vereadora, deputada, senadora, governadora e presidente e ser assassinada por tentativa de melhoria de vida para a população;

– Serei mais uma paulistana estressada que ama a cidade, mas não vê a hora de ter mais tranquilidade e que, para não sair daqui, tentará arranjar um emprego que possibilite não colocar os pés para fora de sua casa confortável e não móvel.

Anúncios

Afobada? Eu???

Hoje tem prova de Español… Muitos verbos… Não estudei… Tô com medo! Eu entendi a matéria, mas… tem muita coisa, muito detalhe. Tá, eu sei que vai piorar, mas… Cara, que merda! O quê? Putz, tem atividade para fazer ainda. Tem que entregar hoje, é o último dia. Tá, vamos lá… Play!

Não fui para a faculdade. Ó, que novidade! Isso para conseguir chegar na Osesp mais cedo para sair mais cedo para estudar mais tempo. Entendeu? Não? Nem eu… Enfim, cheguei no CNA e fiquei lá, me matando um pouquinho, decorando tudo, mas antes de chegar lá foi a maior comédia.

Saí correndo do trabalho, cheguei no metrô, o cara da minha frente passou o cartão, passou pela catraca, eu fui no embalo e queria passar também. Detalhe: Não passei o bilhete único. Hahahahahahaha… Ri muito sozinha! Além de ter ficado com cara de louca sequelada. Hahahahaha… Depois cheguei lá, entrei no último vagão e sentei! Pensei: “Poutz, tenho que anotar isso para não esquecer de colocar no blog!” Peguei papel e, quando fui pegar a caneta, ela se desmontou instantaneamente. Hahahaha… Tão de sacanagem! Demorei um tempinho para achar as partes espalhadas pela bolsa (pelo menos isso, não caiu no chão), mas nada demais.

Cara, foi incrível!

Cheguei a uma conclusão: Não aguento nada por muito tempo! Troco de cor preferida com uma certa frequência, troco meu doce preferido com muita frequência, troco de grupo ou cantor(a) preferido(a) com uma frequência incrível…

Ou sou hiperativa, ou é a idade, ou será sempre assim? Não tem tratamento? Será que com a idade chegando aos poucos, isso diminui? Que vontade doida de explodir e de gritar! Ahhhhhhhhhhhh…

Inspira! Expira! Inspira! Expira!

Não tô podendo não!

 

OBS: Alguém conhece algum tratamento para isso? É colocar um anel a mais na minha mão que eu me perco, me desequilibro, tenho que recomeçar tudo para entender o que se passa… Ai, que ódio!

OBS2: A Atena mordeu minha mão direita. Mais uma novidade maravilhosa essa. Mas dessa vez pegou bem no nervo, parecia cãibra. Meu dedo esticou e a mão ficou tremendo. Agora está dormente. Não tô sentindo nada!