A cama, o relógio e o smartphone

3 horas da manhã.

Escovo os dentes, coloco o pijama, arrumo a cama, pego a cachorra e me deito. Um livro ou uma revista sempre vai junto para a cama, com a luz de cabeceira acesa. Luz amarelinha que dá um soninho bom. Ou serão as letrinhas miudinhas as culpadas pelo sono ligeiro que surge ao me deitar?

Desisto de ler. Resolvo programar o celular para despertar. São cinco alarmes, com diferença de dois, três ou cinco minutos entre eles. Por que esses intervalos bizarros? Vou lá saber eu?!

Por dois segundos penso que demorarei um século para dormir, mas minutos depois, acordo no dia seguinte com o celular embaixo de mim. Minutos depois? Nada, já chegou o dia “seguinte”. Preciso deixar claro que considero dia seguinte porque o dia muda apenas depois que dormimos.

Alarme 1: não ouço.

Alarme 2: não ouço.

Alarme 3: um barulho estranho entra no sonho.

Alarme 4: dormindo, desligo o alarme.

Alarme 5: toca, acordo de leve, desligo.

Todos juntos: afffff… que zona nesse quarto. (Minha mãe ouve e grita para eu desligar essa porcaria.)

Rádio relógio: rock legal, música boa… uhuuuuu…

Duas horas depois, acordo brava porque não consegui acordar, mesmo tendo uma orquestra de tudo quanto é tipo de instrumento no quarto, em cima da minha cama.

Pego o smartphone, vejo que dormi digitando uma mensagem, que tenho dezenas de notificações do Facebook e de e-mails com promoções, respondo mensagens do WhatsApp e decido tomar café.

Parece que fiz milhares de coisas, mas foi apenas mais uma noite estranhamente dormida.

 

Anúncios

Um coma!

Dormi e acordei mais de meio-dia. Detalhe: faltaria na aula para fazer uma entrevista com o dono da Pizzaria Bruno que fica na Freguesia do Ó, mas, para variar um pouco, não consegui acordar. Isso porque fiquei até umas 3h da manhã editando minha entrevista com o Leon Cakoff para entregar para o professor.

Cara, como eu fico brava com isso!

Para compensar o atraso no trabalho, fiquei lá até às 21h 30. 21h 30… 21h 30… Ah! Podia entrar em coma e ficar umas duas semanas, no mínimo, dormindo. O problema é que não sei se adiantaria, pois eu não lembraria que estava dormindo por todo esse tempo e acho que daria na mesmo, ou então estaria com mais cara de morta, com mai dores e alguns efeitos colaterais.

Please, acaba 2009! Chega! Já tenho quase certeza que você não me trará tantas coisas boas assim. Posso estar extremamente enganada, mas uma surpresinha não faz mal a ninguém!

Amanhã é dia de baladinha! Segunda edição da Oui Oui no Praga, Perdizes!!! Yes!!!

 

OBS: Só fale comigo se realmente quiser ir na festa, se não, nem se atreva.

OBS2: Hoje é aniversário de um grandíssimo amigo: Renato! Re, tudo do bom e do melhor para você, querido. Sabe que sempre estarei por perto e que sempre te amarei pelo o que você é! Super beijos!

OBS3: Hoje é dia de São Jorge! Não é do Seu Jorge, é de São Jorge!

Sou uma fraca!

Se descansar e dormir é para os fracos, eu assumo, sou uma loser sem forças.

Às vezes queria que estar com fome e com sono não fossem estados constantes, mas, assim como ter cabelos castanhos e cacheados, essas características nasceram comigo.

Isso porque essa anta aqui não consegue dormir cedo e sempre tem que acordar de madrugada (5h 30, 6h da manhã). É a morte!

Se meus horários fossem criados por mim, acordaria às 8h, sairia de casa às 9h com café tomado, banhinho gostoso e jornal assistido (ou Ana Maria Brega… ups, Braga. Credo!), trabalharia das 10h às 17h e faria espanhol das 20h às 23h. Depois chegaria em casa às 23h 30, comeria, escreveria no blog, faria outras coisas, como ficar tagarelando e lendo, e dormiria umas 2, 3h da manhã. Tá certo que dormiria pouco também, mas com relação às 3, 4 horas que durmo hoje, sairia no lucro fácil.

E meu aniversário tá chegando, galera! O que vou ganhar de aniversário? Nada de conta para pagar e outras coisas sem graça, hein! Pode ser um tênis, um cd, um dvd, um livro, um chocolate, um abraço beeeeem apertado, um e-mail fofo, um parabéns sincero. Como sempre digo, sou fácil de agradar, bem fácil, mas poucos sabem como.

 

OBS: Ah, Damien! Você não sai da minha cabeça, porque coloco o fone nos ouvidos e fico ouvindo suas músicas o dia inteiro. O pior é que vou cantando… Hahaha… Haja saco!

OBS2: Se alguém esquecer meu aniversário, morre, ok?! Hihi…

OBS3: Ah, CQC, que falta me faz!